Jonatas Lucena Sociedade Individual de Advocacia

Menu

Virus espião ataca WhatsApp de usuários de Android e iOS. Saiba como se proteger!

Virus espião ataca WhatsApp de usuários de Android e iOS. Saiba como se proteger!

Chamado tecnicamente de FinSpy, este software potente tornou-se um grande aliado de hackers que através do malware podem facilmente alterar o comportamento de casa recurso malicioso para atingir alvos específicos ou até mesmo um grupo de alvos, como empresas, por exemplo. O vírus permite ainda desviar dados confidenciais para os invasores, como localização, mensagens, imagens, documentos, entre muitos outros.

Em cenário ainda mais desolador, os cibercriminosos desenvolveram uma versão do FinSpy ainda mais tecnológica e funcional que conseguem alcançar dispositivos móveis iOS e Android.

De acordo com o Especialista em Direito Digital, Dr. Jonatas Lucena, o vírus espião atualizado também apresenta melhorias de monitoramento de mensagens – incluindo aquelas criptografadas – e ocultação de seus rastreamentos.

As mais recentes versões do malware estendem sua rede de espionagem para serviços de mensagens instantâneas até então consideradas seguras, como o Telegram, Signal ou Threema. Eficazes em cobrir rastros, a versão malware para iOS é capaz de ocultar o hack na raiz do sistema. Enquanto que a nova versão para Android contém mecanismo que dão acesso ilimitado a todos os arquivos e comandos do dispositivo.

De acordo com o Especialista em Crimes Cibernéticos, a infecção pode acontecer de duas maneiras: quando os criminosos têm acesso físico ao dispositivo desejado que já esteja desbloqueado ou em caso contrário, quando é necessário recorrer a métodos de infecção como mensagens SMS, e-mail e notificações.

“Os desenvolvedores do FinSpy estão sempre adequando o malware a fim de evitar suas operações sejam bloqueadas por correções do sistema. Além disso, eles seguem tendências e implementam funcionalidade para desviar dados de apps da moda”, afirma o Advogado Dr. Jonatas Lucena, Especialista em Direito Digital e Crimes Virtuais.

Para evitar se tornar uma vítima do FinSpy, o Especialista em Direito e Tecnologia aconselha não deixar seu dispositivo desbloqueado, além de instalar apps móveis somente em lojas de aplicativos oficiais; Ademais, é importante não clicar em links suspeitos e evitar divulgar sua senha, mesmo com conhecidos.