Jonatas Lucena Sociedade Individual de Advocacia

Menu

Tesla promete atualização do sistema de veículos autonômos, preocupando a indústria automobilística

Tesla promete atualização do sistema de veículos autonômos, preocupando a indústria automobilística.

Empresa automotiva norte americana, a Tesla popularizou-se por trazer a indústria automobilística seus carros futurísticos autônomos. Em recente pronunciamento, a Tesla prometeu, até meados do fim deste ano, liberar uma atualização de software que pode transformar os modelos em carros-robôs.

Capazes de dirigir sozinho pelas ruas de grandes cidades, assim como já o fazem nas estradas, a nova atualização dos modelos de carro ainda promete ter habilidades para interpretar sinais de trânsito e semáforos, o que possibilitaria uma diminuição de acidentes de tráfego, comentou o Advogado Especialista em Direito Digital Dr. Jonatas Lucena.

Entretanto, o que a princípio se mostra como um cenário vantajoso para motoristas, não é visto da mesma forma pela indústria automobilística que participa da corrida rumo aos autônomos sempre um passo atrás da fabricante de carros elétricos Tesla.

Irreverente e inovadora, a empresa norte americana ainda afirma que a nova tecnologia não possuirá um sistema de sensores que utiliza o laser para mapear o ambiente. Sistema este considerado indispensável por outras montadoras que estão adentrando o universo de carros e veículos autônomos.

Ademais, o que parece não ser uma grande preocupação da Tesla, é para o Advogado Dr. Jonatas Lucena, Especialista em Crimes Tecnológicos, um bom motivo para nos preocuparmos, afinal, sem este sistema de mapeação o especialista acredita que muitas fatalidades poderão ser atribuídas a veículos Tesla.

Para profissionais de segurança de transporte é preciso que a Admistração Nacional de Segurança Rodoviária assuma um papel mais ativo no que tange a supervisão de tecnologias automotivas. Sendo possível somente desta forma garantir que o desenvolvimento seja seguro.

“Se nada for feito a respeito, o próximo desafio recairá sobre o judiciário quando uma fatalidade ocorrer” diz o Advogado Dr. Jonatas Lucena. “Afinal a quem deveríamos culpabilizar? A empresa? O motorista? Ou o próprio carro?”.