Lucena e Milani Sociedade de Advogados

Menu

Tecnologia de segurança biométrica dará fim ao uso de senhas

Tecnologia de segurança biométrica dará fim ao uso de senhas.

Com tantos dados pessoais e informações confidenciais que armazenamos em nosso smartphone, é incabível que o deixemos a disposição de qualquer pessoa e, portanto, aplicar senhas de desbloqueio de tela é o primeiro passo fundamental e básico para manter o aparelho seguro.

Tão verdade é isso que cada vez mais as empresas de tecnologia têm investido no aumento da segurança de acesso, buscando alternativas diferenciadas e melhoradas para manter o dono do telefone a salvo de qualquer invasão.

Dentro deste cenário, umas das opções cada vez mais frequentes é o uso da biometria, que identifica unicamente um individuo por meio de suas características físicas ou comportamentais – impressões digitais e oculares e até mesmo o tom de voz.

Segundo levantamento de pesquisa 49% dos brasileiros acreditam que o crescimento da adoção de tecnologias biométricas representará o ponto final na conturbada relação com a necessidade de gerar incontáveis senhas diferentes para se cadastrar em serviços, fazer compras e utilizar serviços online.

Entretanto, apesar da visão otimista dos brasileiros acerca do uso biométrico, o Especialista em Direito e Tecnologia Dr. Jonatas Lucena, acredita ser necessário pesar na balança os prós e contras desta nova tecnologia que promete extinguir de uma vez por todas o uso de senhas.

“De fato, o recurso oferece mais segurança ao usuário, que tem a tranquilidade de saber que apenas suas características garantirão acesso ao aparelho” afirmou o Advogado Especialista em Crimes Cibernéticos.

Além disso, o processo ainda conta com pontos positivos em relação a agilidade de acesso e confiabilidade no uso de serviços financeiros, como apps de acesso à conta bancária e pagamentos online.

No entanto, nem tudo são flores no universo de reconhecimento biométrico. Por mais que as empresas estejam trabalhando duro para deixar o recurso cada vez mais seguro, o Advogado Dr. Jonatas Lucena afirma que ainda é possível achar brechas no uso do sistema.

Tanto no aspecto de reconhecimento por digitais quanto por identificação visual esta tecnologia ainda não totalmente perfeita, o que mostra que esse método de reconhecimento por biometria ainda não suficientemente robusto.