Jonatas Lucena Sociedade Individual de Advocacia

Menu

Segurança da Informação na Internet: Por que devemos nos preocupar?

Segurança da Informação na Internet: Por que devemos nos preocupar?

Falar sobre inovações em campos tecnológicos sempre nos remete a bons pensamentos, entretanto, ao mesmo passo em que as tecnologias nos proporcionam facilidades em nossas vidas, elas também trazem consigo uma série de problemas que devem ser discutidos de forma a combatê-los. Afinal, quando falamos em desvantagens dos campos tecnológicos, o problema mais usual é o trabalho que tange a segurança da informação na Internet!

Com a rápida expansão da utilização da Internet das Coisas (IoT), milhares de dispositivos tem a capacidade de trocar informações entre si através da Internet. Entretanto, estes dados podem ser facilmente coletados, modificados e utilizados em benefício de terceiros que utilizam estas informações para diversas finalidades, sejam elas financeiras ou não.

Inúmeros podem ser os exemplos de situações de risco na Internet, afinal, quando navegamos na web estamos expostos a um leque de possibilidade de ações ilegais. Do furto de identidade onde um criminoso se passa por você, executando ações em seu nome, também podemos mencionar aqui a “invasão a privacidade”, no qual a divulgação de dados pessoais pode comprometer a privacidade do usuário que não tem controle sobre o repasse destas informações.

Política de segurança.

Em primeiro lugar, é preciso compreender que não existe uma segurança total em ambiente virtual. Porém, a “Política de Segurança” busca definir direitos e responsabilidades de cada um de nós, assim como define também as penalidades a aquele que descumprir com as normas.

Portanto, ao concordamos com um recurso ou serviço na Internet devemos sempre estar atentos a estas políticas que variam de site para site. Afinal, são estas políticas de segurança que costumam definir a confidencialidade de informações, como elas são tratadas e se podem ou não ser repassadas a terceiros. Desta forma, cabe ao usuário optar por concordar ou então cancelar o uso dos serviços.

Do mundo “real” para o virtual.

Da mesma forma que adotamos medidas de segurança no mundo físico, devemos adotar estas preocupações diárias ao mundo virtual.

Afinal, no mundo off-line medidas como comprar somente em lojas confiáveis, não disponibilizar dados sensíveis a terceiros e ter cuidado no momento de ir ao banco, são preocupações cabíveis que também ser postas e pensadas para a Internet.

Desta maneira, o Dr. Jonatas Lucena – Advogado Especialista em Crimes da Internet – considera imprescindível ter um bom antivírus instalado em seu dispositivo informático, assim como fica estritamente proibido navegar por sites com conteúdo impróprios, uma vez que eles são os principais responsáveis por infectar e disseminar vírus.

Outra recomendação dada por Especialistas em Direito Digital, é sempre manter o sistema operacional de seu dispositivo atualizado, afinal, estas atualizações incluem melhorias no sistema de proteção.

Quando a esmola é demais você deve desconfiar…

Presentes gratuitos, promoções demasiadamente tentadoras, sorteios de brindes … não caia nesta cilada, pois em geral estas campanhas pedem o preenchimento de dados em formulários que estão atrelados a ataques criminosos!

Tome cuidado também ao acessar Wi-Fi público, pois o acesso gratuito à Internet destes locais costuma ser bastante arriscado, principalmente, quando acessamos dados confidencias de trabalho ou sites de banco. Portanto, o mais apropriado é deixar para realizar estes acessos em conexões seguras.

É falso!

Muito além das fake news, a criação de falsos sites é usada para copiar senhas, coletar informações pessoais e, principalmente, para vender produtos e serviços que não existem. Em geral, costumam ser páginas idênticas ou bastante parecidas com sites de venda on-line confiáveis, entretanto, funcionam como uma armadilha que já lesou nos últimos anos inúmeros usuários.