Jonatas Lucena Sociedade Individual de Advocacia

Menu

Os perigos por detrás dos aplicativos de relacionamento

Os perigos por detrás dos aplicativos de relacionamento.

Hoje em dia já não há mais a necessidade de se produzir todo para ir à balada e procurar por sua alma gêmea. Basta que você baixe um app de relacionamento – existem vários no mercado – e com apenas alguns toques encontre aquela pessoa que mais lhe agrada.

Entretanto, apesar dos aplicativos de namoro terem se popularizado nos últimos anos, aplicativos como o Tinder, por exemplo, requer que os usuários forneçam informações pessoais a plataforma.

Fator que para Advogados Especialistas em Direito Digital é um grande risco. Afinal, tendo em mãos informações como seu nome completo, profissão, locais que você frequenta e hobbies, pessoas más intencionadas podem cometer os mais diversos crimes, para as mais diversas finalidades.

Entretanto, apesar destas informações não ficarem disponíveis a terceiros, Especialistas em Direito Digital afirmam que cibercriminosos mais experientes conseguem com facilidade quebrar a segurança do aplicativo coletando dados pessoais de seus usuários. Só para se ter uma ideia do poder destes cibercriminosos, em meados do ano de 2017 mais de 40 mil fotos de usuários do Tinder vazou graças a uma vulnerabilidade observada por hackers.

Porém, os problemas não tangem somente a privacidade de dados pessoais. Portanto, confira outros perigos por trás dos apps de relacionamento listados aqui pelo Dr. Jonatas Lucena – Advogado Especialista em Crimes Virtuais:

Descoberta da identidade.

Pesquisadores da Kaspersky analisaram os nove apps de namoro mais populares do mundo. Em meio ao estudo, quatro dele (Tinder, Happn, Paktor e Bumble) permitem que qualquer usuário do aplicativo utilize os dados fornecidos por terceiros para descobrir quem está por trás daquela conta.

Ou seja, é possivel facilmente relacionar o apelido de um usuário às contas dele em outras mídias sociais. Com pouco esforço, qualquer um de nós consegue descobrir a identidade do usuário: desde o nome completo até o local de trabalho.

Localização aproximada.

Seis dos nove aplicativos analisados indicam a distância aproximada entre duas pessoas. Criada com o intuito de tornar mais fácil a conexão física entre as partes interessadas, este sistema, no entanto, é amplamente utilizado por mal-intencionados. O aplicativo Happn, entretanto, parece ser o mais assustador neste caso, pois além de mostrar a distância entre os usuários, aponta o número de vezes que seus caminhos se cruzaram.

Transferência de dados.

Embora a maioria dos apps transfira dados por meio de canais criptografados, ainda existem as exceções. O que põe em risco a privacidade do usuário a partir do momento em que ele envia mensagens de textos ou compartilha arquivos de mídia.

Ademais, saiba que em muitos casos, como por exemplo, no app Mamba, os dados não somente estão visíveis, mas também podem ser modificados. O que possibilita que terceiros, alterem mensagens.

Fique livre dos perigos intrínsecos aos apps de relacionamento!

Em primeiro lugar, o Advogado Especialista em Direito Digital e Crimes Virtuais, Dr. Jonatas Lucena, afirma que você não deve nunca revelar seu endereço de e-mail pessoal ou de trabalho, e muito menos relacioná-lo à sua conta de redes sociais. Evite também fornecer seu nome completo e local de trabalho.

Nunca acesse apps de namoro em locais com rede pública Wi-Fi, isto por que criminosos digitais são capazes de interceptar sua conexão para roubar seus dados.