Telefone MapaComo Chegar Menu

Lucena e Milani Sociedade de Advogados

Lucena e Milani

Sociedade de Advogados

Escritório Especializado em Direito Digital e Empresarial

O Advogado

Para ser Advogado é necessário ser graduado em Direito e após ser aprovado no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), somente após passar por essas duas etapas o profissional pode exercer o “jus postulandi”, ou seja, representar os interessados, pessoas físicas ou jurídicas em juízo ou fora dele, defendendo seus interesses e praticando a Advocacia.

O profissional Advogado no Brasil deve acima de tudo ser pessoa de índole inabalável pois, um dos requisitos básicos para ser Advogado é a honestidade, bem como o comprometimento e dedicação na defesa de seus processos e clientes. Assim, ser Advogado é ter consciência que o mesmo é componente essencial para a administração da justiça e instrumento basilar para asseverar a defesa dos interesses dos clientes em juízo.

O Advogado Brasileiro tem tradição de se manifestar nos momentos mais graves da vida Nacional, sempre estando presente, quando necessário for para defender as instituições, mantendo a ordem face ao primado da lei sobre o arbítrio, por esta razão, oAdvogado é um profissional que acima de tudo se preocupa em manter a ordem social e pacificar os litígios.

Está estampado em nossa história que o Advogado não compactua com aqueles que agem fora das balizas normativas do Estado Democrático de Direito, o Advogado sabe que não há convivência humana saudável sem cumprimento aos preceitos legais, nascidos sob a influência democrática.

A proliferação de normas regionais e setoriais passa a exigir maior especialização do Advogado, criando, assim, a necessidade de os Advogados reunirem-se em sociedade para melhor atender seus clientes nas várias especialidades e áreas de atuação. O Advogado é a voz que sempre se faz ouvir em favor da dignidade da pessoa humana. É o Advogado através de sua coragem pessoal, que previne, denuncia e repara as arbitrariedades. Assim, em simples frase podemos afirmar que o futuro da Advocacia é o da própria democracia.

O Brasil entra no século XXI com novas oportunidades para o Advogado que visa novos ramos do Direito e consequentemente surge Advogado especialista em Direito de Energia, Advogado especialista em Direito Digital, Advogado especialista em Transportes Aéreos, Advogado especialista em Direito Ambiental, dentre tantos outros novos ramos que aguardam aquele Advogado futurista.

Mas ser bem sucedido na profissão de Advogado não é uma tarefa fácil, pois o Advogado deve obter a clientela sem o uso da propaganda como vemos em outras profissões, ser Advogado também não é nada fácil, pois precisa compreender profundamente os fatos da causa que lhe é apresentada, o Advogado deve esbanjar cultura geral e jurídica encontrando soluções por vezes que parecem milagrosas.

Para o Advogado, o cliente é sua razão de existir, pois afora a singularidade que marca o trabalho de cada profissional, isto é, o caráter personalíssimo de seu trabalho, ou seja, não se contrata Advogado como se compra um par de sapatos, para tanto exige-se um laço de confiança entre o Advogado e o cliente que o está contratando, razão pela qual deve o Advogado sempre se empenhar em ter seu cliente como um verdadeiro amigo.

O Advogado militante na atualidade sabe o quanto o exercício da profissão exige muito sacrifício, paciência e perseverança, é bom lembrar que o Advogado depende exclusivamente de seu desempenho profissional para sobreviver, mesmo porque há no mercado inúmeros Advogados, embora nem sempre renomados, mas competentes para realizar defesas das mais variadas naturezas e em diferentes graus de jurisdição.

Podemos afirmar que a Advocacia surgiu com o próprio homem, com a própria sociedade, basta efetuarmos uma análise da Advocacia no tempo. A vida em sociedade é uma necessidade indeclinável do homem, pois desde sempre gerou conflitos de interesses face à aspirações e desejos não satisfeitos, seja individualmente ou em grupos. Dessa forma, muito antes da sociedade se organizar no que tange a Justiça, as partes recorriam a terceiros, hoje Advogados, para a defesa de seus interesses.

Algum tempo atrás a atuação do Advogado dava-se de forma individual no máximo compartilhada com um ou dois colegas e uma pequena estrutura de apoio, tratando de forma pessoal e direta as causas e aos casos que lhe eram confiados, indo ao fórum para acompanhá-los, ocorre que a ida dos Advogados aos Fóruns poderia ser evitada, pois já passou da ora dos tribunais serem totalmente digitais.

A Advocacia e os Advogados de hoje caminham para o amanhã, passando pela diversificação dos equipamentos Judiciais, pela segmentação da atividade Jurisdicional, pelo represamento das ações que chegam a durar vários anos para o seu deslinde, basta passar pela rotina de nossos tribunais.

Compartilhe nas Redes Sociais:

Facebook Twitter Google

OAB/SP 14.339