Jonatas Lucena Sociedade Individual de Advocacia

Menu

Novo malware utiliza pornografia para infectar aparelhos com sistema Android

Novo malware utiliza pornografia para infectar aparelhos com sistema Android.

Na era da conexão em que sempre estamos conectados aos nossos aparelhos móveis, os hackers têm se dedicado demasiadamente na criação de novos vírus e os casos de usuários que se tornam vítimas tem aumentado numa proporção estrondosa.

Na última semana casos de malwares que infectaram milhões aparelhos celulares tem se feito rotina. Exemplo, desta prática criminosa digital é o mais novo ransomware denominado Android/ Filecorder.C, que ativo desde o começo de julho só foi descoberto por especialista recentemente, afinal, o ataque se esconde por trás de um jogo à primeira vista inofensivo e que começou a se espalhar por meio de fóruns na Internet.

De acordo com o Especialista em Crimes de Internet, o Advogado Dr. Jonatas Lucena, o aplicativo se trata de um jogo adulto que tem por intuito simular a prática sexual de maneira online. Entretanto, o app vai muito além disso e em segundo plano, enquanto o usuário utiliza o aplicativo, hackers conseguem através de um processo de criptografia roubas arquivos pessoais das vítimas direto de seu aparelho smartphone.

“O que o app faz é basicamente sequestrar os arquivos do aparelho infectado para que posteriormente os hackers possam exigir pagamento em dinheiro” explica o Especialista em Direito Digital.

Em suma, quando o usuário tenta acessar o arquivo criptografado, uma imagem surge na tela do celular solicitando uma quantia em bitcoin para fornecer a chave que irá liberá-los. Entretanto, além do valor de resgate, a tela exibe uma mensagem informando que os dados serão apagados em 72 horas caso não haja o pagamento do valor solicitado, porém, ainda não se sabe se de fato a promessa de exclusão é cumprida.

Ademais, após ocorrido o ataque, o app é capaz de acessar a agenda do aparelho e enviar mensagens para os contatos a fim de infectar mais dispositivos. Segundo o Advogado Dr. Jonatas Lucena, “as mensagens enviadas falam sobre um link para um app que supostamente estaria utilizando fotos intimas das vítimas”.