Jonatas Lucena Sociedade Individual de Advocacia

Menu

Normas que buscam exterminar discurso de ódio e ofensa no Twitter entram em vigor

Normas que buscam exterminar discurso de ódio e ofensa no Twitter entram em vigor

Em mais recente anúncio, a plataforma de rede social ‘Twitter’ atualizou em sua política de uso, novas medidas contra mensagens de ódio direcionadas a grupos religiosos. O serviço que passará a remover postagens com teor agressivo, discriminatório e ofensivo revela uma enorme mudança significativa nas práticas de moderação da plataforma.

Com uma clara política contra a propagação de ódio, a rede social popularizada mundo afora, impõe regras de conduta muito claras a seus usuários. Onde o uso da rede social não permiti a promoção de violência, o ataque direto e ameaça a outras pessoas tendo como base a raça, etnia, nacionalidade, orientação sexual, sexo, idade, deficiência e mais recentemente, a religião a qual determinada pessoa segue.

Para o Especialista em Crimes Virtuais, Dr. Jonatas Lucena, tal medida busca garantir a segurança dos usuários da rede social, tendo como consequência positiva a reflexão acerca das variadas realidades do mundo no qual vivemos.

Com uma missão clara de oferecer a todos a possibilidade de criar e compartilhar ideias e informações, o Twitter tornou-se uma plataforma social onde expressar opiniões tomou uma proporção drástica e devastadora. O que antes era tido positivamente para estreitar laços do diálogo público, tomou um caminho disruptivo onde a representação de diferentes culturas e perspectivas não parece ser mais respeitada.

Pesquisas mostraram que alguns dos grupos de pessoas sofrem assédio de maneira desproporcional colocando em risco a direito e capacidade de expressão destas mesmas. Entre eles, podemos citar, comunidades historicamente marginalizadas como mulheres, pessoas de cor, homossexuais, entre outros.

Em uma luta clara para combater e detectar ofensas em grande escala, o Twitter modificou significativamente sua política de moderação da plataforma. Como exemplo, podemos mencionar o anunciou onde a empresa informou que notificaria seus usuários quando determinado conteúdo postado por figuras importantes violasse regras de conduta.

“Temos o compromisso de combater o assédio motivado por ódio, preconceito ou intolerância religiosa” comentou o Dr. Jonatas Lucena, Especialista em Crimes Cibernéticos que há anos vem combatendo cenários caluniosos e difamatórias em redes sociais.