Jonatas Lucena Sociedade Individual de Advocacia

Menu

Inteligência artificial é utilizada para combater o bullying no Instagram

Inteligência artificial é utilizada para combater o bullying no Instagram.

Junto a diversos outros crimes cometidos em ambiente digital, o bullying cresceu de forma assustadora na Internet e em principal nas redes sociais, deixando de ser um crime exclusivamente físico para adentrar os campos de comunicação da web.

Porém, este crime que antes parecia não ter solução de combate, ganhou uma nova faceta e hoje, com o uso da Inteligência Artificial (IA), plataformas como é o caso do Instagram prometem identificar conteúdos ofensivos, podendo incutir diferentes punições ao agressor.

As funcionalidades inteligentes, apresentadas recentemente pela rede social Instagram ainda não foram lançadas, porém prometem chegar em breve aos países de língua inglesa e um pouco mais tardiamente aos demais países do mundo.

Desta forma, o Instagram se mostra o precursor de um movimento de combate ao bullying virtual, que segundo Especialistas em Direito Digital, não deve demorar a ser seguido por demais redes sociais como o Facebook, Twitter e Whatsapp, por exemplo.

A Inteligência Artificial no combate ao bullying virtual.

No caso recentemente divulgado pelo Instagram quanto a sua nova modalidade de combate ao bullying, o Advogado Dr. Jonatas Lucena – Especialista em Crimes Virtuais – comenta que a IA do aplicativo poderá vir a intervir em casos de postagens e comentários ofensivos e racistas. De que forma?

Se um usuário da plataforma teclar um comentário que busque ferir a honra de uma pessoa, a Inteligência Artificial da rede social irá intervir e perguntar ao autor se ele tem certeza que quer publicar isto, junto a um link com a palavra “Entenda”. Ao clicar neste link o usuário se depara com a seguinte mensagem: “Estamos pedindo para os usuários repensarem comentários parecidos, que foram notificados como inapropriados”.

De fato, segundo o Especialista em Direito Digital, não há garantia alguma de que o usuário agressor irá mudar seu comportamento devido a intervenção promovida pelo Instagram, afinal, ele poderá simplesmente ignorar o aviso e dar seguimento a sua atitude agressora. Porém, estudos realizados nos últimos dias, demonstram que uma grande parcela dos usuários reconsiderou seus atos, passando a utilizar termos menos ofensivos.

Ademais, análises revelaram que boa parte dos jovens usuários temem bloquear seus agressores devido a uma convivência que ocorre com este na vida real. Portanto, para por fim a este problema, o Instagram criou a opção “restringir” que permite que a vitima restrinja o comentário de seu agressor somente para si, ou seja, somente ele poderá ver o comentário.

Como nós podemos por fim ao bullying?

Em realidade, a forma de combate ao bullying seja ele virtual ou presencial se dá da mesma forma. Portanto, tudo deve começar pela educação, afinal, assim como buscou o Instagram conscientizar seus usuários sobre esta prática mal-intencionada, escolas e parentes também devem tratar o tema com os jovens. É preciso compreender que o respeito a terceiros e as suas culturas e crenças é essencial para um convívio pacifico e harmonioso.

Porém, sabemos que nas redes sociais existem milhares de usuários dispostos a somente praticar o mal contra outras pessoas. Neste caso, como devemos combater esta prática que tem sido considerada um dos grandes maus de nossa geração conectada?

Em suma, é preciso que ao menor sinal de agressão em redes sociais, os usuários denunciem o agressor de forma que ele seja retirado e bloqueado em sua lista de contatos.

Ademais, o Advogado Dr. Jonatas Lucena ressalta que é importante nunca responder ao seu agressor e fazer capturas de tela para posterior denunciação. Da mesma forma, é preciso que cuidemos da nossa privacidade nas redes sociais e que não mantenhamos contato com desconhecidos.