Jonatas Lucena Sociedade Individual de Advocacia

Menu

Ética na robótica: até onde pode ir o papel da I.A na vida humana?

Com a evolução no campo tecnológico e o surgimento de Inteligências Artificiais e robôs que realizam tarefas importantes do nosso dia a dia, surgem também questões éticas acerca deste cenário. Afinal, como podemos garantir que estas I.A sirvam somente aos bons propósitos a que foram designados? Como impedir que seja dotado de capacidades a ponto de se tornarem independentes?

Este cenário muito apresentado em filmes e livros como uma realidade distópica, em realidade não se mostra muito distante do tempo em que vivemos hoje. Entretanto, cientistas e Especialistas em Direito Tecnológico já vêm trabalhando lado a lado a fim de desenvolver uma espécie de constituição robótica de forma a pensar questões do papel do robô na sociedade, assim como o impacto do mesmo em nossas vidas.

Estamos chegando em um ponto onde num futuro próximo humanos e robôs vão coexistir. Portanto, antes que esta hora chegue é preciso alinhar valores a fim de evitar impactos negativos, afirmou o Advogado Especialista em Direito e Tecnologia Dr. Jonatas Lucena.

Em uma reunião realizada entre pesquisadores e profissionais do ramo jurídico, algumas propostas iniciais incluem a necessidades de que as máquinas a serem criadas no futuro promovam apenas o bem-estar das pessoas, de forma a respeitar a privacidade. Incluem também a necessidade de sistemas seguros e confiáveis que obedeçam aos desejos humanos.

O caminho que na visão do Advogado Dr. Jonatas Lucena não é simples, suscita ainda em questões ligadas aos smartphones, tão difundidos na atualidade, mas que, entretanto, não atendem a uma série dessas regras discutidas, afinal são aparelhos suscetíveis a falhas e passíveis de serem atacados por hackers.

Preocupações éticas e até mesmo afetivas podem a princípio parecer muito distante de nossa realidade, entretanto Especialista em Direito e Tecnologia exemplificam casos de robôs soldados treinados para combate em guerras ao lado de humanos, onde a proximidade destes dois soldados causa sentimentos de amizade.