Telefone MapaComo Chegar Menu

Lucena e Milani Sociedade de Advogados

Lucena e Milani

Sociedade de Advogados

Escritório Especializado em Direito Digital e Empresarial

Entenda como funciona uma investigação na internet

Sabemos que a internet é uma plataforma que nos permite a ter acesso a várias pautas que sejam, ou não, de nosso interesse. É um local com uma grande dinâmica de informações, além de também contar com a presença de diversas pessoas que se espalham em sites, portais, redes sociais, fóruns, entre outros.

Com tantos dados assim, a internet se apresenta como um local excelente para a prática de diversos crimes, que são chamados de crimes digitais. Entretanto, a internet não é uma terra sem lei, já que no Brasil foi criada uma legislação própria para combater crimes digitais.

O problema é que, em muitos momentos, é difícil localizar os criminosos, já que a internet e os meios online possibilitam que eles se disfarcem e se escondam de diversas maneiras. Todavia, isso não significa que eles não possam ser encontrados. Com a ajuda de especialistas, como um advogado especializado em internet, é possível realizar uma investigação na internet e coletar provas até, de fato, encontrar o criminoso em questão.

Porém, a investigação na internet pode ser trabalhosa e exigir uma grande dedicação do especialista em questão para que tudo ocorra certo. Também é preciso seguir uma série de etapas que possibilitam que o trabalho seja realizado com sucesso.

Antes de mais nada, é necessário saber qual tipo de crime virtual foi cometido para que a investigação comece a ser realizada. Existem diversos tipos de crimes virtuais, que podem atingir diversas pessoas e, por essa razão, é preciso ter bastante atenção.

Após o crime virtual ser identificado, é preciso procurar o provedor na internet no qual o crime foi cometido. E nesse ponto é importante contar com um advogado, já que alguns sites como Facebook, Twitter e afins, não liberam os seus dados sem uma ordem judicial.

Depois dessas etapas fundamentais, é preciso coletar provas de que o crime tenha sido realizado e guardá-las até que o processo seja encaminhado. Com isso, podemos que perceber que a internet não protege um criminoso, já que sim, ele pode deixar vários rastros que são plausíveis de serem rastreados através de uma investigação criminal.

Compartilhe nas Redes Sociais:

Facebook Twitter Google

OAB/SP 14.339