Lucena e Milani Sociedade de Advogados

Menu

Cyberstalking: Saiba o que é e quais os seus perigos para as vítimas

Cyberstalking: Saiba o que é e quais os seus perigos para as vítimas.

A internet desde seu surgimento tem sido utilizada para as mais diversas finalidades. Desde a realização de negociações comerciais, busca por conhecimento, mantimento de relações, produção de atividades de marketing pessoal e busca por diversão, esta tecnologia também possui um lado obscuro, onde pessoas mal-intencionadas usam a web para promover transtornos de variados níveis.

De diversos crimes cibernéticos que surgiram após o uso da Internet, falaremos neste artigo sobre um pouco conhecido, entretanto, muito cometido: o chamado cyberstalking.

Potencializado pelo avanço das mídias sociais, o termo Cyberstalking vem do inglês stalk, que significa “caçada”. O crime que consiste no uso de ferramentas tecnológicas com intuito de perseguir ou ameaçar uma pessoa, é em realidade uma versão virtual do comportamento de seguir e ameaçar uma pessoa de modo repetitivo.

Em suma, o Dr. Jonatas Lucena – Especialista em Crimes Cibernéticos – explica que o stalker, indivíduo que pratica a perseguição, mostra-se onipresente na vida de sua vítima, dando claras demonstrações de que exerce controle sobre esta.

Este assunto que apesar de não ser novo se fez mais preocupante nos últimos anos, já foi alvo de preocupação no Brasil por volta de 2008 e 2009 quando o crime virtual demonstrou trazer inúmeras consequências as vítimas no que tangem fatores psicossociais e em casos mais extremos financeiros, uma vez que o stalker pode requisitar pagamentos para deixar de perseguir a vítima.

Podendo se dar através de diversas formas, o cyberstalking ocorre em demasia através do envio de mensagens feitas por redes sociais, e-mails e ligações. “Este criminoso é motivado a cometer tal crime movido pelo desejo de exercer controle sobre sua vítima”, explica o Especialista em Crimes Virtuais Dr. Jonatas Lucena. “Há neste crime uma violência psicológica bastante sutil, uma vez que a linha que separa uma amizade ou elogio é bastante tênue”.

De modo geral, este tipo de crime cibernético gera um desconforto por parte da vítima que não sabe como reagir aos ataques. Entretanto, cabe lembrar que, dependendo do teor do cyberstalking, este pode caracterizar como crime de ameaça previsto no artigo 147 do Código Penal pelo simples fato de perturbar a tranquilidade alheia.